O PAPEL DAS MASCOTES NA CONSTRUÇÃO DA MARCA

27/09/2017

painel Start - Cópia

Muitas pessoas torcem o nariz quando ouvem falar, acham brega ou popular demais, mas é inegável o papel essencial que as mascotes têm como ferramenta para a construção de marcas.

 Em um momento em que as médias e grandes corporações parecem criar em torno de si (mesmo sem a intenção) um ar cada vez mais frio e impessoal, distante da realidade de seu público, o objetivo das mascotes é justamente quebrar esse ar de impessoalidade, dar à empresa uma “cara” que cative seu público.
Não é preciso muito esforço para lembrar-se de casos de sucesso na utilização desse recurso. Como imaginar a Sadia sem o peru que se tornou parte integrante de sua identidade? Ou a marca de salgadinhos Cheetos, sem a chita (cheetah em inglês) que é sua marca registrada, está sempre presente em suas embalagens e é tão famosa quanto a própria logo?
 São inúmeros os exemplos de ações semelhantes que funcionaram, mas é preciso ter cuidado ao utilizar esse tipo de artifício, pois em alguns casos é desaconselhável. Empresas elitizadas, com perfil de produtos sofisticados, não combinam com esse tipo de ação. Entretanto, para lojas de perfil popular a ideia ainda se mostra bastante válida.

Além disso, é necessário seguir alguns critérios no momento de sua criação:

  1. A criação de uma mascote deve ser tão bem planejada quanto qualquer outra estratégia de comunicação, afinal poderá se tornar um desastre se mal executada.
  2. Deve-se pensar, antes de sua criação, qual imagem deseja transmitir ao público, afinal tudo comunica o sorriso, a postura do boneco, as cores e o tipo de traço com o qual será representado.
  3. A mascote deve sempre possuir algo que lembre a empresa, sejam as cores de sua logomarca ou até mesmo algo relacionado à sua personalidade.
  4. Nunca se deve fazer uma mascote inspirada no dono da empresa. Busque, em vez disso, alguma característica que represente sua marca, seja um referencial ao nome ou a alguma característica da personagem propriamente dita.
  5. A postura da mascote é muito importante, visto que esta representa a personificação da empresa. Nesse sentido, personagens sorridentes, simpáticas, com ar de confiança são bastante aconselhados.

E você, acha válida essa estratégia? A utilização de mascotes ainda é funciona nos dias de hoje?

painel Start - Cópia

Compartilhe!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone